Dia 28 de Junho: Follow the leader Tadeu

Na próxima reunião vamos fazer algo diferente... A reunião será dada por mim, Tadeu (não é qualquer um, só os melhores é que conseguem :P) e vamos aprender a fazer dezenas (e dizem vocês pa q é q precisamos de fazer isso), bem isto tem dois objectivos: o primeiro é poupar dinheiro em prendas caso necessitem :D, e o segundo objectivo ser-vos-á revelado no dia.
Levem mta pachorra (=paciência) pa reunião
Cumprimentos ao pessoal

Aqui fica as nossa respostas ao desafio que nos fizeram nos dia 10 de Junho a nossa ida a Penha. O Ultimo.

Aqui fixa o ultimo desafio.
Espero que tenham gostado até aqui.
Que tal uma comentário.
A dizer se gostaram ou não. Vá lá é muito rápido.

"5. Que sinais de DEUS encontras? Como procurar uma maior comunhão com a CRIAÇÃO?"




Aquele abraço e boas pedaladas, alexjudoka_gmr.
Força ai com os vossos cometarios, nos agradecemos na mesma a vossa prença.

Aqui fica as nossa respostas ao desafio que nos fizeram nos dia 10 de Junho a nossa ida a Penha. Continuação.

Aqui fica mais uma mensagem. Não sei se vai responder bem ao desafio mas nos tentamos.

"4. Atenta à fauna que atravessas! Que diversidade encontras? Que sensações te transmitem?"




Aqui fica as nossa respostas ao desafio que nos fizeram nos dia 10 de Junho a nossa ida a Penha. Continuação.

"3. Que uso faz o Homem da Natureza? O que valorizar? O que repudiar?"



Aqui fica as nossa respostas ao desafio que nos fizeram nos dia 10 de Junho a nossa ida a Penha. Continuação.

"2. Nestes trilhos que traças, que interacção existe entre Homem e Natureza? Que vestígios da intervenção humana encontras? Identificas diferentes tipos de intervenção?"




Aqui fica as nossa respostas ao desafio que nos fizeram nos dia 10 de Junho a nossa ida a Penha.

Nestas próximas mensagens são a nossa óptica ao desfio que nos colocaram no dia 10 de Junho a quando a nossa ida a Penha.
Fica aqui a primeiro desafio

"1. Enquadra-te! Onde e com quem te encontra? O que te rodeia?"



Tema de reunião: "Valor da Oração..."

Um sacerdote visitava frequentemente um enfermo em sua casa. E sempre observava com estranheza a presença de uma cadeira vazia à cabeceira do enfermo. Um dia perguntou-lhe:

- «Para quê uma cadeira vazia junto da cama?»

- «Não está vazia», respondeu o enfermo. « Coloquei Jesus nessa cadeira e estava a falar com Ele quando você chegou…Durante muitos anos, era-me muito difícil fazer oração, até que um amigo me explicou que rezar é falar com Jesus. Ao mesmo tempo, aconselhou-me a colocar uma cadeira vazia junto de mim, que imaginasse Jesus sentado nela e procurasse falar com Ele, escutar o que Ele me respondia. Daí em diante, não tive dificuldades em rezar.»

Alguns dias mais tarde, veio a filha do doente à casa paroquial para informar o sacerdote de que seu pai tinha falecido. Disse:

- «Deixei-o só um par de horas. Parecia tão cheio de paz! Quando voltei de novo ao quarto, encontrei-o morto. Mas notei algo de errado: a sua cabeça não repousava sobre a almofada da cama, mas numa cadeira colocada ao pé da cama.



Deparamo-nos com uma sociedade em que o valor da oração está em crise.
Poderemos mesmo dizer que a nossa relação com Deus está em crise, pelo facto de não orarmos ao nosso Paizinho...
Os jovens são facilmente influenciáveis por aquilo que os rodeio. Assim, havendo uma sociedade que despreza o valor da Oração, os jovens, mais tarde ou mais cedo, também irão dizer o mesmo.

Poderíamos dizer que a oração é como comer uma sopa...Sabemos que a "sopa" faz-nos bem. No entanto, não gostamos de a comer...
Muitas vezes ouvimos dizer dos nossos jovens que a oração é um conjunto de fórmulas e que por isso é uma "seca"...
Mas não é verdade!!! Vejamos o caso de Taizé em que os jovens fazem orações de uma forma espontânea e bela...
Por isso fiquemos com esse desafio de trazer um pouco de Oração a cada um dos nossos grupos de jovens...para o nosso grupo de amigos...para o nosso trabalho...para a nossa família...para nós próprios...
Não tenham medo de orar!! =)

Oração para os estudantes...


Esta é uma altura complicada para muitos...já que estamos em plena época de exames...
Por isso, e como forma de desejar boa sorte a todos, deixamo-vos esta oração do estudante:

Senhor,
recordo-me com frequência
das minhas obrigações de estudante.
Faz-me atento
às responsabilidades que tenho.
Santifica-me
no meu trabalho de estudante.
Prepara-me
para a minha futura missão.
Que eu nunca perca de vista, Senhor,
o privilégio que me concedeste
de poder dedicar-me ao estudo
enquanto muitos jovens de minha idade,
mais inteligentes do que eu,
têm que trabalhar sem estudar.
Para mim, Senhor,
que tantas vezes critico
os que perdem alguns instantes em seu trabalho,
dá-me a humildade para perceber
a negligência com que cumpro,
às vezes, as minhas tarefas.
Dá-me coragem para reunir
os muitos momentos perdidos no estudo.
Faz-me um estudante aplicado ao meu trabalho,
preocupado em estudar com método,
em ler inteligentemente,
em consultar os que sabem mais do que eu
para no dia de amanhã
ser um trabalhador eficiente
na missão que destinaste.
Amén.

Penha, 10 de Junho de 2008, mt fixe.Que momento.!!!!

Foi um momento mt bom. Eu curti... e tu?

Que tal deixares um comentário? era fixola!! =P
Espero que tenham gostado tanto qto eu do nosso encontro na Penha...Foi uma boa maneira para demonstrar-mos que realmente somos comunidade =)
Mas deixem o vosso comentário...



Aquele abraço e boas pedaladas, alexjudoka_gmr.

10 de Junho

Aqui ficam algumas fotografias do dia 10 de Junho. O dia 10 de Junho foi o dia escolhido para juntar todos os grupos de jovens do arciprestado de Guimarães e Vizela. Foi marcado por duas grandes iniciativas: a primeira consistia na peregrinação anual dos grupos de jovens de Vizela à Penha, em que levaram a imagem da Nª Senhora de Fátima peregrina; a segunda iniciativa consistia na dinâmica de criar um elogio à Natureza através da fotografia.
O dia foi fantástico! Com muito convívio, mas também com espaço para a oração...

Reconhecimento do caminho para o 10 de Junho


Anda, ó minha alma :)













Ó minha alma pq demoras?

Meditação de Junho - Taizé

Jesus disse: Não vos inquieteis com o que haveis de comer ou beber, nem andeis ansiosos, pois as pessoas do mundo é que andam à procura de todas estas coisas; mas o vosso Pai sabe que tendes necessidade delas. Procurai, antes, o seu Reino, e o resto vos será dado por acréscimo. Não temais, pequenino rebanho, porque aprouve ao vosso Pai dar-vos o Reino. Vendei os vossos bens e dai-os de esmola. Arranjai bolsas que não envelheçam, um tesouro inesgotável no Céu, onde o ladrão não chega e a traça não rói. Porque, onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração.
(Lucas 12,29-34)

Será que Jesus é ingénuo? Não compreende que vivemos num mundo em que temos de nos esforçar para satisfazer as nossas necessidades essenciais? Quando lemos com atenção os Evangelhos, vemos que Jesus não é nada ingénuo. Certo dia, disse aos seus discípulos: «Envio-vos como cordeiros para o meio de lobos» (Lucas 10,3).

Neste texto, Jesus reconhece que a humanidade tem necessidades e recorda que Deus sabe bem de que é que os seus filhos precisam. Então, por que razão ele diz aos seus discípulos de modo tão imperativo: «Não vos inquieteis»?

Num mundo fascinado pela segurança e pelo conforto, o Evangelho coloca a todos uma pergunta fundamental: em que deposito eu a minha confiança? O que é para mim mais importante? Jesus diz aos seus discípulos que onde estiver o seu tesouro, aí estará também o seu coração. O coração, na Bíblia, é o centro da pessoa humana. É o local onde tudo se encontra – a inteligência, a vontade, a nossa capacidade de decidir e os nossos desejos mais profundos. O coração pode facilmente afeiçoar-se ao seu tesouro. É por isso que é extremamente importante aprender a escolher bem e a criar raízes naquilo que é verdadeiramente importante.

Para Jesus, o tesouro é o Reino. Falar do Reino de Deus é falar do próprio Deus. Procurar o Reino é uma outra maneira de dizer que apenas Deus pode dar uma segurança e um significado verdadeiros às nossas existências.

O discípulo é aquele que quer viver de uma maneira radical e nova, na confiança de que Deus, chamado por duas vezes «pai» no texto, sabe aquilo de que ele precisa. Quando os nossos corações compreenderem isso, então as coisas de que precisamos para viver deixam de ser a fonte da nossa vida ou a chave da nossa felicidade. Tudo encontra o seu verdadeiro lugar. As «pessoas do mundo», como Jesus lhes chama, depositam o seu coração numa má escolha, por isso vivem inquietos.

A confiança pode abrir e transformar a vida de um discípulo: «Vendam aquilo que possuem e dêem-no aos pobres». A existência dos que escutam as palavras e as metem em prática é «recentrada». As suas necessidades pessoais deixam de ser o ponto em torno do qual centram a sua vida, e começam a viver para os outros. Passam de uma existência centrada sobre si próprios para uma vida de partilha. Foi assim que viveram as primeiras comunidades cristãs (ver Actos 2,45; 4,34-37). Talvez muitos tenham começado a acreditar que o Evangelho era mesmo uma Boa Nova quando viram que, para os discípulos de Cristo, ele não era apenas um conjunto de palavras vazias.

- Onde está o meu tesouro? Como modificam as palavras de Jesus a maneira como estabeleço as minhas prioridades?

- Se fosse preciso tornar mais simples a minha existência, quer material quer interiormente, o que deixaria eu de lado? E com que coisas ficaria?

Construção de um grupo de jovens...

Para quem está com ideias de começar um grupo de jovens ou para quem começou hà pouco tempo a caminhada de um grupo fica aqui um pequeno texto sobre este tema...

O texto é da pastoral jovem de São Paulo- Brasil...No entanto, considero que está bastante adequado para a realidade da pastoral jovem em Portugal...Aqui fica:

 

Um grupo se constrói através da constância da presença de seus elementos na rotina e de suas atividades.

     Um grupo se constrói no espaço heterogêneo das diferenças entre cada participante:
- da timidez de um, do afobamento do outro; da serenidade de um, da explosão do outro; do pânico de um, da sensatez do outro; da seriedade desconfiada de um, da ousadia do risco do outro; da mudez de um, da tagarelice de outro; do riso fechado de um, da gargalhada debochada do outro; dos olhos miúdos de um, dos olhos esbugalhados do outro; da lividez de um, do encarnamento do rosto do outro.

Um grupo se constrói construindo vínculo com a autoridade e entre iguais. Um grupo se constrói na cumplicidade do riso, da raiva, do choro, do medo, do ódio, da felicidade e do prazer.

     Vida de grupo dá muito trabalho e muito prazer porque eu não construo nada sozinho, tropeço a cada instante com os limites do outro e os meus próprios, na construção da vida, do conhecimento, da nossa história.

     Quem acompanha e coordena um grupo deve ter uma idéia do "processo de formação grupal" (caminho) que esse grupo vai fazer. Assim ele(a) garantirá que o grupo em um espaço de tempo seja não só convocado (chamado), mas também conheça a sua própria situação, descubra a comunidade, perceba como é a sociedade, a conjuntura maior que o cerca e como cada pessoa pode interferir e principalmente que essa militância contribua para definir, perceber sua vocação e seu projeto de vida."

 

in http://www.mundojovem.com.br/subsidios-grupo_jovens-06.php

Os Futuros Casacos do Grupo

Oi povo, aqui fica uma noticia mt quentinha.
Para todos os elementos e futuros elementos e os que vão aparecendo. =)
Este será o casaco do Grupo de Jovens.
Espero que gostem, eu (alex) amei.



Se gostarem ou não gostarem. deixem vosso comentários.

Aquele abraço e boas pedaladas, alexjudoka_gmr.