...Quando é que Jesus nasceu?...




Estava a "folhear" alguns dos blogs e, pelo meio, passei pelo do "CJOVEM". Gostei tanto de um post que vi que pensei em transcreve-lo para aqui...
Colocou-me a pensar sobre quando é que Jesus de facto nasceu pela primeira vez na minha vida...por isso deixo-vos aqui o post...




Ha vários estudos que questionam o dia e o ano do nascimento de Jesus, e até mesmo a terra onde nasceu. Que não seria Belém, mas Nazaré. Mas o que nos interessa aqui e agora não é tanto o Jesus histórico mas o Cristo da fé. Esse é o mais importante porque é esse que nos alimenta a fé e a esperança. É esse que nos salva. O resto deixemos para os arqueólogos, historiadores, etc. É como o nosso nascimento biológico e o 2º nascimento, para Deus e para a Igreja, no Baptismo. Daí que nos interessa ajudar-te a fazer uma reflexão sobre o nascimento de Jesus em nós. É que recordamos o nascimento dele em sucessivos natais mas... será que Ele já nasceu em nós? Vamos, pois, perguntar a algumas personagens bíblicas, e não só, se sabem quando Jesus nasceu... e onde.

Natal!!!!

É Natal!! Tempo de parar, tempo de estar com a família, tempo de comprar prendas, tempo de estar na fila interminável de fazer embrulhos...
Tentamos comprar, em cada Natal, os melhores presentes para os nossos amigos e famílias:
Filmes,Chocolates, brinquedos, meias, perfumes, etc.
Mas, esquecemo-nos, por muitas vezes, que afinal tivemos desde sempre os melhores presentes para a nossa família e para os nossos amigos:
Amizade, Amor, Carinho, Afecto.
Afinal, não precisamos de estar assim tanto tempo na fila dos embrulhos porque afinal os nossos presentes sempre estiveram embrulhados dentro dos nossos corações...
Por isso, aqui fica o desafio de dares um pouco mais de ti aos outros...

Por fim...

Qual é o presente que vais dar ao menino deitado nas palhinhas?


Cabazes de Natal


















Caros amigos JObens...


Queremos partilhar convosco e com todos os que participaram na campanha "+Alimentos" os resultados desta campanha.
Foram apresentados ao grupo a seguinte necessidade:
-6 Senhoras sozinhas
-3 Familias, respectivamente com 4 Filhos, 3 Filhos e 2 Filhos.

Na distribuição, o Grupo, deu predominância às famílas (15 pessoas) em relação às pessoas sozinhas (6 pessoas).
Contudo, conseguiu-se que todos os generos alimenticios estivessem representados de igual forma em todos os cabazes.

Aqui ficam alguns numeros dos generos que foram conseguidos durante a campanha de cabazes deste ano:
-48 Litros de Leite
-30 Kg de Massa
-67 Kg de Arroz

Por fim, agradecemos a todos os que colaboraram nesta iniciativa de solidariedade.

Desejamos a todos um Santo Natal.

com pequenos passos mas sempre firmes e insistentes que podemos todos melhorar o mundo

Presépio 2009

Como é costume em épocas natalícias, o JOb e amigos sairam à rua para montar o presépio na igreja da Nossa Senhora da Oliveira(Guimarães)... Nem o frio nos parou (também as francesinhas ajudaram... só faltava o digestivo pa ajudar a limpar a canalização :D)
Aqui está o momento fotográfico (não te preocupes Alex eu paguei os direitos de autor da expressão "momento fotográfico" ;P)

Com o apoio da Super Bock "Sabor autêntico" :D



Desde já agradecemos a participação de todos...todos fomos importantes em tornar este presépio diferente!!!...
Feliz Natal e Bom Ano Novo!!!!

Olá JOb +

Oi
Penso que todos devem estar bem.
Como é sabido no Sábado, vamos fazer os cabaz de Natal e fazer o presépio com tem sido ao longo deste nosso 8 anos de companheirismo, amizade e de fé.
Por isso, sábado estaremos a cumprir e sentir o que é o espirito de natal. Vamos dar um pouco de nos ao outros e preparamos para receber o Menino JESUS, fruto de amor de DEUS por todos nos.
Estamos a contar contigo.
Posto isto eu estava a vaguear pela internet e adorei este poema de Natal, espero quer gostem.



Natal Africano

Não há pinheiros nem há neve,
Nada do que é convencional,
Nada daquilo que se escreve

Ou que se diz... Mas é Natal.

Que ar abafado! A chuva banha

A terra, morna e vertical.

Plantas da flora mais estranha,

Aves da fauna tropical.

Nem luz, nem cores, nem lembranças

Da hora única e imortal.

Somente o riso das crianças

Que em toda a parte é sempre igual.

Não há pastores nem ovelhas,

Nada do que é tradicional.

As orações, porém, são velhas

E a noite é Noite de Natal.

Cabral do Nascimento

Obra Poética

Porto, Edições Asa, 2003


"Se ESPÍRITO do NATAL é vermos o rosto do MENINO JESUS em cada um de NÓS se o fizermos viveremos com DEUS o seu AMOR."
E não te esqueças, que a fonte de água viva és tu que enches o rio do amor e da amizade.JOb +


Beijos as meninas
Abraços aos meninos.
E que Deus e Maria estejam convosco.

Em breve eu volto, pode ser!!!!!

Aquele abraço e boas pedaladas, alexjudoka_gmr
Xau ai.

Viver é...

Viver é crer nalguma coisa, é sonhar com algo de belo e grande, é acreditar, é ter esperança de que amanha será melhor, é a cada dia renascer, é a cada dia crescer, é ser cada dia melhor, é a cada momento sorrir!!! Viver é gastar a vida por uma causa, é estar acordado para a realidade do presente, é nunca descansar enquanto no mundo houver ódio, é lutar por um ideal, é nunca nos darmos por vencidos, é ser cada dia… unicamente JOVEM!!! Viver é darmo-nos generosamente ao mundo, viver é amor!!!

Texto bíblico com comentários feitos pela comunidade de Taizé de Dezembro:

Olá JOb+:

Como é normal, colocamos todos os meses, a meditação bíblica feita pelos Irmãos da Comunidade de Taizé.
Eu ainda não a li e nem fiz a minha meditação, por isso aqui fica para todos a fazerem.

Esta meditação bíblica é sugerida como meio de procura de Deus no silêncio e na oração, mesmo no dia-a-dia. Consiste em reservar uma hora durante o dia para ler em silêncio o texto bíblico sugerido, acompanhado de um breve comentário e de algumas perguntas.


Dezembro

Actos 12, 1-17: A masmorra vazia
Por esse tempo, o rei Herodes maltratou alguns membros da Igreja. Mandou matar à espada Tiago, irmão de João, e, vendo que tal procedimento agradara aos judeus, mandou também prender Pedro. Decorriam os dias dos Ázimos. Depois de o mandar prender, meteu-o na prisão, entregando-o à guarda de quatro piquetes, de quatro soldados cada um, na intenção de o fazer comparecer perante o povo, a seguir à Páscoa. Enquanto Pedro estava encerrado na prisão, a Igreja orava a Deus, incessantemente, por ele. Na noite anterior ao dia em que Herodes contava fazê-lo comparecer, Pedro estava a dormir entre dois soldados, bem preso por duas correntes, e diante da porta estavam sentinelas de guarda à prisão. De repente, apareceu o Anjo do Senhor e a masmorra foi inundada de luz. O anjo despertou Pedro, tocando-lhe no lado e disse-lhe: «Ergue-te depressa!» E as correntes caíram-lhe das mãos. O anjo prosseguiu: «Põe o cinto e calça as sandálias.» Pedro assim fez. Depois, disse-lhe: «Cobre-te com a capa e segue-me.» Pedro saiu e seguiu-o. Não se dava conta da realidade da intervenção do anjo, pois julgava que era uma visão. Depois de atravessarem o primeiro e o segundo posto da guarda, chegaram à porta de ferro que dá para a cidade, a qual se abriu por si mesma. Saíram, avançando por uma rua, e logo o anjo se retirou de junto dele. Pedro, voltando a si, exclamou: «Agora sei que o Senhor enviou o seu anjo e me arrancou das mãos de Herodes e de tudo o que o povo judeu esperava.» E, depois de reflectir, dirigiu-se a casa de Maria, mãe de João, de sobrenome Marcos, onde numerosos fiéis estavam reunidos a orar. Bateu à porta da entrada, e uma serva chamada Rode veio atender. Reconheceu a voz de Pedro e, com alegria, em vez de abrir, correu a anunciar que Pedro se encontrava em frente da porta. «Estás louca!» disseram eles. Como ela afirmava, sem hesitar, que era verdade, disseram: «É o seu anjo.» Pedro, entretanto, continuava a bater à porta. Eles abriram e, ao vê-lo, ficaram estupefactos. Fazendo-lhes sinal com a mão para se calarem, contou-lhes como o Senhor o tinha tirado da prisão e acrescentou: «Mandai dizer tudo isto a Tiago e aos irmãos.» Depois, retirou-se dali e foi para outro lugar. (Actos 12,1-17)

O rei Herodes em questão é Agripa I, neto de Herodes o Grande. Ele cresceu em Roma, na companhia do futuro imperador Cláudio. Em 41, quando Cláudio se tornou imperador, encontrava-se em Roma. A atmosfera em Jerusalém era muito tensa. O imperador Calígula, morto por envenenamento em Janeiro de 41, tinha querido colocar a sua própria estátua no templo de Jerusalém. Este projecto por pouco não provocou uma grande revolta. Herodes Agripa partiu imediatamente para Jerusalém afim de acalmar os ânimos.

Ele procurava apoio dos grupos fiéis às tradições de Israel, à Torá. Por outro lado opunha-se aos Cristãos. Talvez, em parte, por razões pessoais: não esperavam, os Cristãos, a vinda do seu Cristo, também chamado «rei dos Judeus» e portanto um potencial rival? Os Actos dos Apóstolos dizem que ele se virou contra os cristãos para assegurar o suporte dos círculos influentes de Jerusalém, hostis ao movimento cristão. Isto porque, por causa da sua fé em Jesus, alguns Judeus chegavam a relativizar o que diferenciava os Judeus dos pagãos. Iam mesmo ao ponto de afirmar que Judeus e pagãos, em conjunto, formavam agora um mesmo povo de Deus.

É dentro deste contexto histórico que Herodes fez matar Tiago e prender Pedro. Uma ou duas frases teriam sido suficientes a Lucas, autor dos Actos dos Apóstolos, para dizer que Pedro encontrara a liberdade em circunstâncias pouco claras. Mas ele quer descrever a noite de Pedro na prisão de modo a torná-la uma noite de Páscoa. Enquanto a Igreja em oração celebra os dias da Páscoa, Pedro faz, em seu próprio corpo, a experiência do mistério pascal. Esperando na masmorra pela execução, ele é já um homem morto. E eis que, em plena noite, as correntes lhe caem das mãos e dos pés. Ele é livre. Os guardas estão atordoados e Pedro sai da sua masmorra tal como Jesus saiu do túmulo. Ele pensa sonhar. Depois, quando volta a si, confessa a sua fé com as palavras que fazem eco da libertação de Israel na primeira Páscoa (Êxodo 18,4.9): «O Senhor arrancou-me das mãos de Herodes».

É uma mulher que recebe primeiro a boa-nova da libertação de Pedro. Rode reconhece a sua voz à porta da casa onde os cristãos estão reunidos. Mas, de tão contente, esquece-se de abrir! Lucas tem sentido de humor: enquanto se discute no interior, negando a possibilidade de que Pedro esteja livre, Pedro tem de esperar à porta e bater com mais força! Por fim deixam-no entrar. Ele explicou o que lhe aconteceu. E, mais uma vez, Lucas pisca o olho ao leitor para que se lembre da ressurreição de Jesus. Tal como Jesus enviou as mulheres que estavam no túmulo a anunciar aos discípulos e a Pedro e sua ressurreição, Pedro manda que anunciem a sua libertação «a Tiago e aos irmãos». Trata-se aqui de Tiago, irmão do Senhor, que parece ter sido, pelo menos depois deste momento, o responsável da igreja de Jerusalém. Pedro sai então da Cidade Santa e retira-se «para outro lugar». A expressão significa, em Ezequiel 12,3, a partida para a Babilónia. Aqui poderá ser uma indicação codificada de uma partida de Pedro para Roma.

- Quais são as masmorras e as correntes na minha vida? Em que ocasião da minha vida fiz a experiência do poder da ressurreição?

- Quando somos como os cristãos de Jerusalém, que conversavam entre eles para saber o que era ou não possível, quando lhes bastava abrir a porta para ver?

- Saído da masmorra, Pedro está preparado para uma nova etapa na sua vida. O que estarei pronto a deixar para trás, de forma a retomar o caminho com uma nova liberdade?

Beijos as meninas
Abraços aos meninos.
E que Deus e Maria estejam convosco.

Em breve eu volto, pode ser!!!!!

Aquele abraço e boas pedaladas, alexjudoka_gmr
Xau ai.

Um feriado à maneira :)

Visita à Casa de Saúde do Bom Jesus
Foi um dia cansativo, mas muito bom para nos...um dia cheio de grandes experiências e tb de fortes emoções:)
Foi um dia que... nao tem explicação.... um dia simplemente fantástico:)



espero k tenham gostado...eu pelo menos gostei... e tenho a certeza k voces tb

beijinhos e abraços para todos
ate breve