Liberdade Humana

Liberdade humana é o que nos distingue, para além da inteligência, o Homem do animal. Os animais têm intuição, algo que lhes foi ministrado no momento em que nasceram, portanto, os animais não tem liberdade de escolher, pois todas as escolhas são decididas pela sua intuição.
Apesar de o Homem estar preso num corpo sujeito a todas as leis da Física, ele é capaz de escolher aquilo que pode ou quer ser, porque tem liberdade de escolha.
D’Holbacj e La Mettrie, materialistas franceses, reduziram os actos humanos a elos de uma cadeia causal universal. Watson e Skinner, psicólogos contemporâneos pertencentes à corrente comportamentista, consideram que o homem tem a ilusão de que é livre, quando na verdade apenas desconhece as causas que agem sobre ele.
Quando nos referimos à liberdade, temos de compreender os vários campos que pode ter. Podemos mencionar na liberdade ética, em que um homem pode decidir com autonomia o que quer, existe também a liberdade de pensamento, entre outras.
No entanto, a liberdade do homem tem limites, por exemplo, na liberdade de pensamento o limite dessa liberdade é o limite da imaginação; na liberdade ética, acaba quando a liberdade interfere na liberdade de outra pessoa.
Para podermos ser livres temos de considerar algumas condições, o homem pode aprender a voar mas antes de se atirar de um prédio irá pensar que existe uma lei da gravidade que condiciona a sua aprendizagem, o que levará a que homem pense duas vezes antes de se atirar do prédio, a não ser que tenha desejos suicidas.
“Defendo a liberdade porque sou pela liberdade e por isso não devo defender a liberdade, porque para defender a liberdade teria de atacar a liberdade, o que me obrigaria então a defendê-la por ser a favor dela - merda! Sou pela liberdade, sou contra a opressão, e isto é simples, é humano, é evidente - disse! E não me chateiem mais.”- Vergílio Ferreira, in “Estrela Polar”.
“Deus dotou a vontade do homem de tal liberdade, que ele nem é forçado para o bem ou para o mal, nem a isso é determinado por qualquer necessidade absoluta da sua natureza” - Confissão de Fé de Westminster, Capítulo IX, secção 1.
A liberdade, no mundo actual, é um dos assuntos mais falados no dia-a-dia, escritores escrevem sobre ela, padres falam sobre ela, até está escrito na Bíblia, apesar de não notarmos nisso, ela está lá, desde o momento em que acordámos até ao momento em que voltámos a dormir, a liberdade existe e se pararmos um instante e reflectirmos sobre isso, iremos acabar por compreender que a liberdade está lá.



Trabalho realizado por:
Tadeu Freitas 11ºA

6 comentários:

Anónimo disse...

bom texto mais eu queria saber sobre os impedimentos da liberdade humana e nesse texto nao diz muito

Anónimo disse...

já não chega? Muito bom o texto xd sou português e só depois de ver o comentário percebi que era um texto brasileiro.

Obrigada (:

Anónimo disse...

Ps: Tem alguns erros e muitas repetições por isso investe na leitura para que possas escrever correctamente e fazer com que todos os que lêem os teus textos façam o mesmo e claro, apreciem!

Anónimo disse...

tens razão Anonymus

Anónimo disse...

bom texto mas deves dedicar-te à pesca

Anónimo disse...

Cenoura de kiwi com sal da rua é bué bom