Jovens

De forma natural, apelidam-se gerações e criam-se estereótipos sobre os jovens.
Incompreendidos, mal-amados muitas vezes deixados de lado são desconsiderados por ainda serem inexperientes.
Mas será esta a melhor descrição de um jovem?
Poderemos ser indiferentes à indiferença criada e aceite pela sociedade?

Por outro lado, como forma de os jovens escudarem-se, os próprios jovens são os primeiros a desistir de viver plenamente a sociedade tornando-se assim uma sociedade dentro de uma sociedade.
Encasulam-se nas redes sociais e nos seus amigos criam eventos e meetings.
Uma maquilhagem social que encobre um vazio interior.

Despidos de valores tradicionais recriam os seus próprios valores perante as circunstâncias que os rodeiam aumentando assim um fosso entre gerações.

Perante esta pressão, este stress, cria a necessidade de bálsamos que permitam novamente conectar gerações e anular mal-entendidos.
Estes bálsamos podem ser interpretados como grupos de jovens que permitem os jovens serem tudo o que querem ser mas, ao mesmo tempo, dar uma nova via que foge da via estereotipada e diminuir o vazio inter-geracional.

Este é o nosso propósito.
Jovens, qual é o vosso?

Sábados | 17H - OLIVEIRA

1 comentário:

Jefferson. disse...

muito bonito tudo! O grupo de jovens ajuda na promoção pessoal de cada um e fortalece a fe.