Hi-GOD ou GoodBye GOD

Retrospectiva....

Na minha opinião, retrospectiva é mais do que uma palavra é um processo de meditação sobre o passado que pretende ou permite tirar lições para o futuro. Em outras palavras, de um outro hemisfério meu, melhoria continua.

Retrospectiva é o que pretendo fazer agora. Retrospectiva de uma actividade em que estivemos presentes: Hi-GOD. Um dia com Deus é a dinâmica do "Hi-GOD" uma das poucas iniciativas diocesanas direccionadas, pensadas somente para os jovens/adolescentes.

Hi-GOD é dedicado por gente que, infelizmente, por muito que tentem não conseguem ver o seu trabalho reconhecido mas sim, por vezes, cai, como um orvalho matinal, um sentimento de menosprezo institucional ou de que por mais seja feito não existe nem haverá reconhecimento ou acolhimento institucional.

Se falarmos com cada um dos organizadores dirão que não procuram louvor ou distinção mas somente a alegria estampada no rosto e sentir que o seu dever foi feito.
Dever este não institucional mas consciente de que pertencemos todos ao MESMO e, por esse MESMO, queremos acrescentar algo mais às vidas destes jovens de HOJE.
Este MESMO subentenda-se Jesus.

Não procuro hostilizar ninguém mas se calhar dar voz aquilo que surdinamente é dito nos cantos e portas de uma qualquer igreja.
Não pretendo louvor ou distinção mas somente alertar de que as lamentações e lamuriações de algum clero menos esclarecido tem origem neste menosprezo ou desprezo por estas pequenas e insignificantes iniciativas que apenas pretendem demonstrar que existe um querer e uma vontade solene em desdramatizar, clarificar e desmitificar o Amor de Deus por nós.

No passado sábado sentiu-se entre os presentes: convidados, jovens e organização. Uma clara e manifesta falta de acolhimento. Onde estava o clero de Braga, Guimarães, Esposende, Barcelos, Famalicão e de outras terras?

Pergunto-me até quando manteremos esta atitude de palanque em que há um subordinante e um subordinado?

Até quando as instituições manterão este aparente "está tudo bem"?


Até quando teremos pastores que esperam pelas ovelhas no curral em vez de irem à procura das suas ovelhas?

Perdemos o sentido de procura de Jesus Cristo. Perdemos a vontade de ir ao encontro do outro.

Perdemos: A debandada continua...


Sem comentários: