Aos Avós

Poesia Silenciosa
ternura perene,
abraço eterno...
são os avós.
Olhar-vos é libertar
a memória do coração
e recordar os jogos de criança,
os passeios no jardim...
convosco a segurar a minha
mão.
Os dias passaram ao ritmo
veloz das estações
e o Vosso amor
cresceu como as árvores.
À vossa sombra todos se refugiam.
Junto de Vós
não podemos senão sorrir
e aprender a sabedoria
que ensina a percorrer
a estrada da vida.

2 comentários:

César Augusto disse...

A todos avós e avôs dos elementos do grupo mando-lhes os parabéns neste dia. =)

Lipa disse...

Não pude deixar de ficar emocionada ao ler este poema... O dia dos Avós e vivido, para mim, com um misto de alegria, por ainda puder abraçar o meu Avô, e uma saudade (ainda triste) por não conseguir fazer o mesmo aos outros...

Sabem o que me vem à cabeça?

Feliz daquele que tem a sua avó e o seu avô bem junto de si... que lhe dêem atenção, que os façam sentirem-se amados e queridos, que não sejam tratados como um "velhos trapos" que apenas está ali "por estar"... E, acima de tudo, não digo para terem paciência mas sim RESPEITO, porque hoje são eles que têm uma "mentalidade retrógada" mas... amanhã... seremos nós!

E feliz daquele avô ou avó que não é desprezado pelo seus netos...

Que Deus abençõe todos os avós!

(Este comentário foi escrito em Português... sem acordo ortográfico)