Lectio Divina :: Domingo XXX



Evangelho segundo S. Mateus (22,34-40)
Naquele tempo, os fariseus, ouvindo dizer que Jesus tinha feito calar os saduceus, reuniram-se em grupo, e um doutor da Lei perguntou a Jesus, para O experimentar: «Mestre, qual é o maior mandamento da Lei?». Jesus respondeu: «‘Amarás o Senhor, teu Deus, com todo o teu coração, com toda a tua alma e com todo o teu espírito’. Este o maior e o primeiro mandamento. O segundo, porém, é semelhante a este: ‘Amarás o teu próximo como a ti mesmo’. Nestes dois mandamentos se resumem toda a Lei e os Profetas».

Meditação
Para Jesus, o fundamento da relação com Deus e com o próximo é o amor. Um amor solidário. Um amor entrega. Um amor que se torna lei de vida e de acção de todo o crente. Na síntese de Jesus do Decálogo transparece o seu próprio fundamento: toda a legislação, em Deus, tem o seu princípio no amor fraternal e recíproco. O sábado, tem então sentido, na ligação intrínseca à dimensão de Deus. Nesse dia, os judeus deviam dedicar-se por completo ao repouso e ouvir a leitura da Escritura. Com o tempo, esta normativa tornou-se uma carga insuportável, sobretudo, para os mais pobres, quando o sábado deixou de ser o dia da festa do Senhor, para ser um dia cheio de prescrições que impediam as pessoas de se movimentar, cozinhar, e inclusivamente, ajudar o mais necessitado. Jesus veio introduzir um novo sentido ao dia do Senhor com a sua morte e ressurreição. Com uma nova identidade. Um outro fundamento. Um outro amor fundante.

Comentários

Filipa disse…
"Ama o próximo como a ti mesmo"...
Estas palavras de Jesus devem ser, para cada um de nós, das coisas mais extremamente dificeís de se cumprir..

A verdade é que o ser humano, apesar de ser um animal racional, pensa, na maior parte das vezes, da seguinte forma: "ofendem-me e eu vou amar essa pessoa como me amo a mim?"
(A verdade é que até hoje a única pessoa que conseguiu cumprir isto, e que eu conheço, é Jesus Cristo!)
Como vou amar quem me fere a alma? a quem eu dou amor e retribuí-me com pedras?

Dificil, não é????

O perdão... o amor fraternal a quem nos ofende é realmente algo muito complicado de ser feito...Mas é possivel!
Às vezes demora o seu tempo... muito tempo até... mas é possivel perdoar e voltar a amar fraternalmente alguém que nos marcou a alma de uma forma menos boa...
Mas... algo que também me "saltou à vista"..
Acho que nesta frase, Jesus, também alertou para algo importante: Só podemos amar os outros na medida em que nos amamos também a nós... Ele refere que nos devemos amar... No fundo, cada um de nós é um templo do amor... do amor dos nossos pais e do amor do nosso Deus que com tanto carinho traçou um caminho de felicidade para ser por nós vivenciado...

Portanto...
Para amar o próximo...tenho de me... amar a mim!

Lá está aquela famosa frase...

"Se eu não gostar demim, quem gostará?"

hups... já divaguei demais... lol
Um beijinho grande!

Mensagens populares deste blogue

Tema de reunião: "Valor da Oração..."

Liberdade Humana

Oração Espontânea