São Judas Tadeu

«São Judas Tadeu, nasceu em Caná de Galileia, na Palestina.
Era filho de Alfeu (ou Cléofas) e Maria Cléofas.
O pai, Alfeu, era irmão de São José e a mãe, prima-irmã de Maria Santíssima. Portanto, Judas Tadeu era primo-irmão de Jesus, tanto pela parte do pai como da mãe.
Um dos seus irmãos, Tiago, também foi chamado por Jesus para ser apóstolo.
Era chamado Tiago Menor para diferenciar do outro apóstolo Tiago que, por ser mais velho que o primeiro, era chamado Maior.
Judas Tadeu tinha 4 irmãos: Tiago, José, Simão e Maria Salomé.
O relacionamento da família de Judas Tadeu com o próprio Jesus Cristo, pelo que se consegue perceber na Bíblia é o seguinte:
Alfeu (Cléofas) era um dos discípulos a quem Jesus apareceu no caminho de Emaús, no dia da ressurreição. Maria Cléofas, uma das piedosas mulheres que tinham seguido a Jesus desde a Galileia e permaneceram junto à Cruz, no Calvário, com Maria Santíssima. Dos irmãos dele, Tiago foi um dos 12 apóstolos, que se tornou o primeiro bispo de Jerusalém. José, apenas conhecido como o Justo. Simão foi o segundo bispo de Jerusalém, após Tiago. E Maria Salomé, a única irmã, foi mãe dos apóstolos Tiago Maior e João evangelista.
É de se supor que houve muita convivência de Judas Tadeu com o primo e os tios.
Esta fraterna convivência, além do parentesco, pode ter levado São Marcos a citar Judas e os irmãos, como irmãos de Jesus (Mc 6,3).
A Bíblia fala pouco de Judas Tadeu. Mas, aponta o seguinte:
Judas Tadeu foi escolhido por Jesus, para apóstolo. Quando os evangelhos nomeiam os doze escolhidos, consta sempre Judas ou Tadeu entre a relação.
O livro dos Actos dos Apóstolos também se refere a ele (Act 1,13). É citado especialmente nas Escrituras no episódio da santa Ceia, na quinta-feira santa, narrado por João evangelista (Jo 14,22).
Nesta oportunidade, quando Jesus confidenciava aos apóstolos as maravilhas do amor do Pai e lhes garantia especial manifestação de si próprio, Judas Tadeu não se conteve e perguntou:
"Mestre, por que razão hás-de manifestar-te só a nós e não ao mundo?"
Jesus respondeu-lhe afirmando que teriam manifestação d’Ele todos os que guardassem a Sua palavra e permanecessem fiéis ao seu amor.
São Mateus e São Marcos citam-no com o nome de Tadeu, como se tivessem receio de usar o primeiro nome, evitando a possível confusão com o nome do renegado traidor.
Mesmo assim a confusão fez-se, e por muitos anos ele ficou esquecido dos devotos. Até mesmo aqueles que procuravam deturpar a pureza de Maria se agarravam à história de Judas Tadeu para sacrilegamente usar o termo "irmão", como um pejorativo, contra a mais pura das mulheres.
Depois que os Apóstolos receberam o Espírito Santo, no Cenáculo, em Jerusalém, iniciaram a construção da Igreja de DEUS, com a evangelização dos povos.
São Judas iniciou sua pregação na Galileia. Depois viajou para a Samaria e outras populações judaicas. Tomou parte no 1º Concílio de Jerusalém, realizado no Ano 50.
A seguir, foi evangelizar na Síria, Arménia e Mesopotâmia (actual Pérsia), onde ganhou a companhia de outro apóstolo, Simão, o "zelote", que evangelizava no Egipto.
A pregação e o testemunho de São Judas Tadeu e seus companheiros, foi realizado de modo enérgico e vigoroso,pedindo ao povo que destruíssem os falsos ídolos e aceitassem Jesus Cristo no coração, atraindo e cativando os pagãos e povos de outras religiões que se converteram ao cristianismo, quando foram alvo da inveja dos feiticeiros. Isso provocou a fúria invejosa de falsos pregadores, de feiticeiros e de ministros pagãos, que conseguiram incitar parte da população
contra São Judas Tadeu e São Simão que foram trucidados a golpes de machado, no dia 28 de Outubro do ano 70.
São Judas escolheu o martírio que o levaria à vida Eterna.
Certa vez, S. Brígida estava a rezar, quando teve uma visão de Jesus:
"Invocai com grande confiança o meu apóstolo Judas Tadeu. Prometo socorrer a todos quantos por seu intermédio a mim recorrerem".
S. Judas Tadeu mostrou que a sua adesão a JESUS CRISTO era completa e incondicional, testemunhando a sua fé com doação da própria vida.
Devido ao seu martírio, São Judas Tadeu é representado na sua imagens segurando um livro, simbolizando a palavra que anunciou, e um machado, o instrumento do seu martírio.
As suas relíquias actualmente são veneradas na Basílica de São Pedro, em Roma.
Santa Gertrudes e São Bernardo de Claraval entre muitos outros Santos, também foram fervorosos cultivadores do culto a São Judas Tadeu.
Santa Gertrudes escrevendo a sua biografia, conta que Jesus lhe apareceu aconselhando-a a invocar São Judas Tadeu, até nos "casos mais desesperados".
A partir de então, cresceu a fé do povo na especial intercessão do Santo, principalmente nos "casos impossíveis".
TADEU vem da palavra síria "THAD" que quer dizer: misericordioso, benigno.

Comentários

César Augusto disse…
Os meus parabens por uma excelente biografia do teu santo patrono...
Um abraço =)

Mensagens populares deste blogue

Tema de reunião: "Valor da Oração..."

Liberdade Humana

Oração Espontânea